Passar fome NÃO é solução.

Conforme sugere um estudo de Reinhart et al. (2015), as alterações metabólicas causadas por distúrbios alimentares podem ser as principais responsáveis para que isto aconteça.

Neste estudo, um grupo de mulheres passava 24 horas fechadas numa sala para que fosse possível analisar alterações metabólicas em jejum e a comer o dobro das suas calorias diárias de manutenção.

O que o estudo demonstrou foi que o metabolismo de algumas das mulheres baixava drasticamente em resposta ao jejum, numa tentativa do nosso corpo economizar energia e que, quando estas mesmas mulheres começavam a comer, o seu metabolismo mantinha-se num modo ‘económico’, facilitando desta forma a acumulação de gordura no corpo. Em outras mulheres, o metabolismo caia pouco durante a restrição alimentar e subia bastante quando comiam mais – uma reposta do corpo para queimar o excesso e evitar armazenamentos.

Os dois grupos de mulheres foram designados como ‘económicas’ e ‘gastadoras’.

O seguinte passo foi colocar todos os elementos do grupo sujeitos a uma dieta que contivesse apenas 50% das calorias necessárias para a manutenção de cada uma.

Sabem qual foi o resultado? As ‘económicas’ tiveram dificuldades em perder peso enquanto que as ‘gastadoras’ emagreceram.

O que podemos retirar deste estudo é que, talvez, mais de metade das pessoas obesas sejam ‘económicas’ o que explica não ser de todo sustentável submetê-las a dietas excessivamente restritivas para perda de peso. Primeiramente não vão perder o peso desejado e, numa segunda fase, podem inclusive recuperar mais peso do que o que era o seu peso inicial.

O grande problema de tudo isto é que os comuns mortais querem perder peso a todo o custo e acabam por não pensar no ‘amanhã’.

Uma das soluções apresentadas poderá ser alterar o metabolismo de repouso de cada indivíduo.

Esta condição verifica-se na ingestão de alimentos ricos e de boa qualidade. Sim, desenganem-se aqueles que julgam que a repercussão metabólica de comer 500kcal de chocolate é a mesma de ingerir 500kcal provenientes de frutas e aveia. O mesmo se verifica no exercício físico, pois gastar 300kcal durante uma caminhada não equivalem ao mesmo número de calorias gastas num Cardio HIIT.

Basicamente, para PERDER PESO devemos COMER SAUDÁVEL, não devemos ‘PASSAR FOME’ e sempre, procurar orientação de um profissional da Nutrição.

 

 

Reinhardt M, Thearle MS, Ibrahim M, Hohenadel MG, Bogardus C, Krakoff J, Votruba SB. A Human Thrifty Phenotype Associated With Less Weight Loss During Caloric Restriction. Diabetes. 2015 Aug;64(8):2859-67. doi: 10.2337/db14-1881.